Contrato de Prestação de serviços: 12 pontos que você considerar

Contrato de prestação de serviços: 12 pontos que você deve gerenciar

O contrato de prestação de serviços estabelece e firma um acordo entre uma empresa e o cliente. Descubra os pontos principais deste documento jurídico e como gerenciá-lo.

Contrato de prestação de serviços: qual a finalidade? 

Antes de aprender a elaborar um contrato de prestação de serviços, é importante saber o que é quando este documento pode ser utilizado. O contrato de serviços é um documento que estabelece e firma um acordo entre o prestador de serviços (empresa ou autônomo) e o cliente.

É por meio deste acordo que uma das partes assume o compromisso de realizar determinada tarefa em troca de uma remuneração.

⌈ Para todo o tipo de atividade e serviços prestados é importante que seja estabelecido um acordo formal.⌉

Outro ponto determinante para entender a lógica do contrato de prestação de serviços é estar ciente de que este acordo não implica em um vínculo empregatício entre as partes. A empresa ou profissional autônomo é contratado para prestar um serviço por um determinado tempo, com a possibilidade de ser renovado ou não.

Porque eu preciso de um contrato por escrito? 

Um contrato escrito é mais confiável e menos arriscado porque não depende da palavra de uma pessoa contra outra. Um acordo formal favorece os negócios e a segurança financeira da sua empresa, pois todas as condições, termos e responsabilidades de ambas as partes estão inseridas no documento.

Mas por falta tempo ou de uma assessoria jurídica adequada, as micro e pequenas empresas acabam prestando serviços para seus clientes através de um acordo verbal. Também é comum obter apenas  uma confirmação formal por e-mail ou mensagem de aplicativos.

Utilize um contrato personalizado

Por outro lado, há empreendedores que buscam modelos de contrato de prestação de serviços prontos na internet. Este procedimento, no entanto, não garante a devida qualidade do documento e a segurança da relação contratual.

Sempre que possível, é melhor usar um contrato que seja personalizado para sua profissão ou segmento de atuação da sua empresa. Isso torna possível incluir termos relevantes para o trabalho que você faz.

Para isso, você pode contar com serviços de assessoria jurídica ou plataformas de gestão de contratos que ajudam a criar, organizar e gerenciar todos os seus contratos e documentos legais. Essas soluções automatizadas permitem que você gerencie seus contratos com rapidez e economia.

Mas, independente da forma como obterá ou gerenciará o seu contrato, é importante conhecer as principais características deste acordo. Desta forma, será mais fácil identificar um documento bem escrito e em conformidade com as exigências legais.

Por isso, listamos os 12 principais aspectos que devem ser considerados para entender qual a importância e o que deve conter nestes contratos.

O que eu incluo em um contrato de serviços?

Neste artigo, listamos todos os aspectos que podem ser necessários, mas um contrato simples e curto também pode funcionar para suas necessidades, dependendo do trabalho que será executado.

No mínimo, um contrato de prestação de serviços deve incluir conceitos básicos, como a descrição dos serviços, os termos de pagamento,  conclusão e um procedimento de resolução de litígios.

Resumo dos itens que você deve considerar: 

As partes: define os nomes, assinaturas e outras informações comerciais das partes no contrato.

Descrição dos serviços ou resultados: fornece detalhes sobre o trabalho a ser feito ou o resultado esperado.

Pagamentos: define o método, a maneira e o calendário dos pagamentos e quem paga as despesas.

Propriedade Intelectual: esclarece direitos de propriedade intelectual. A propriedade intelectual (por exemplo, direitos autorais) pertence a quem cria, a menos que o contrato diga o contrário.

Informação confidencial: protege informações como margens de lucro, as listas de clientes ou os segredos comerciais.

Indenização: define quando e como a parte que contrata pode ser compensada por qualquer perda como resultado do trabalho contratado.

Seguro: identifica claramente as obrigações de seguro (se houver) de cada parte.

Subcontratação: esclarece se o contratado pode subcontratar o trabalho e se há restrições na escolha de um subcontratado.

Contrato de exclusividade: restringe o prestador de serviço de trabalhar para outros clientes durante o período do contrato.

Responsabilidade por corrigir o trabalho defeituoso ou incompleto: define quem é responsável por corrigir o trabalho defeituoso ou incompleto.

Procedimento para a resolução de litígios: define como as partes lidarão com uma disputa, se isso acontecer.

Término do contrato: especifica quando e como cada parte pode terminar o contrato e determina quais as circunstâncias e consequências.

Veja uma descrição mais detalhada de 6 pontos:

1 – Descrição das partes

Nesta parte, devem-se descrever os nomes e endereços comerciais. Deve se especificar se é uma empresa, administrador, parceria ou pessoa física. Isso será importante se houver uma disputa durante o período do contrato que poderá levar as partes ao tribunal.

Compreender exatamente quem você está contratando ou quem o contrato também permitirá que se avalie os riscos de entrar no contrato e localizar informações relevantes sobre a outra parte.

2 – Descrição dos serviços ou resultados

Todo contrato deve incluir uma descrição do trabalho acordado a ser feito ou o resultado a ser alcançado. Isso deve ser tão detalhado quanto necessário para que seja claro para ambas as partes.

Que trabalho será feito ou qual resultado será alcançado?

Quando o trabalho começará e quando ele será concluído (datas específicas)?

Onde o trabalho será feito (as instalações comerciais do contratado, seu escritório em casa ou outro local)?

Todo contrato deve incluir uma descrição do trabalho acordado a ser feito ou o resultado a ser alcançado. Isso deve ser tão detalhado quanto necessário para que seja claro para ambas as partes.

3 – Pagamentos

O contrato deve indicar o montante, o método e o calendário dos pagamentos e como as despesas serão tratadas.

Taxa fixa: às vezes poderá ser pago uma única taxa fixa para realizar um trabalho inteiro. Se o contrato é de longo prazo, pode valer a pena incluir uma cláusula no contrato que permita que as taxas sejam revistas, caso os  custos das empresas aumentarem.

Taxa horária ou diária: se você for pago de acordo com o número de horas ou dias em que trabalha, o contrato deve indicar quantas horas compõem um dia útil normal (também poderá ser especificado quantos dias por semana serão trabalhados).

Pagamento total quando o trabalho estiver concluído: esta forma de pagamento deve ser avaliada, quando a parte contratada ficar responsável pelas despesas do projeto ou serviço que será executado, como compra de materiais. Caso o contrato seja firmado para um trabalho de longo prazo, a parte contratada pode ficar  sem pagamento por algum tempo.

Pagamentos por etapas ou parcelas: isso significa que o pagamento será efetuado em certos intervalos ao longo do período do contrato ou quando é concluída uma determinada tarefa. Neste caso, o contrato deve descrever claramente quando uma tarefa será considerada como concluída.

Parte do pagamento no início e o restante pago na conclusão: este acordo pode ser usado para cobrir custos iniciais ou exclusivos do contrato, como a compra de materiais.

4 – Descrição das Despesas

As despesas tratadas em um contrato podem incluir itens como refeições, viagens, entre outras que forem exclusivas da atividade. O contrato deve especificar se o contratante pagará as despesas enquanto estiver executando o trabalho ou  irá fornecerá os suprimentos necessários para que o trabalho seja realizado.

5 – Propriedade intelectual

Um contrato pode exigir, por exemplo, a criação de um programa de software, um documento ou um projeto para uma casa.

No entanto, o criador de propriedade intelectual nem sempre é o proprietário. O proprietário terá certos direitos (chamados de “direitos de propriedade intelectual”) que lhes permitirão licenciar ou vender a criação.

Se o contratante quiser ter  a propriedade intelectual que a outra parte criou, isso deve ser especificado no contrato. É aconselhável  procurar aconselhamento jurídico sobre cláusulas de direitos de propriedade intelectual.

6 – Informação confidencial

Quando se deseja manter o controle sobre determinadas informações confidenciais, o contrato deve incluir uma cláusula para proteger essa informação.

Deve-se especificar o tipo de informação que é confidencial para que ambas as partes entendam exatamente o que precisa ser protegido.

Confira a descrição dos últimos 6 pontos:

7 – Indenização

Um contrato pode incluir uma cláusula de “indenização”.  Embora o risco seja uma consideração essencial em todos os contratos comerciais, deve-se avaliar cuidadosamente se o risco com o qual se está concordando está sob seu controle.

O mais importante é que ambas as partes compreendam exatamente a responsabilidade que uma cláusula de indenização impõe. No caso de uma cláusula de indenização profissional, recomenda-se um seguro indenizatório.

8 – Seguro

O seguro pode ser para indenização profissional, perda ou dano à propriedade, responsabilidade pública e compensação dos trabalhadores. As obrigações de seguro de cada parte devem ser claramente identificadas no contrato.

É possível que um contrato não exija que você tenha esse tipo de seguro, mas é importante se proteger dependendo da atividade ou serviço que será prestado e se o contrato prever cláusulas de indenização.

9 – Subcontratação

Em algumas situações a parte contratada poderá precisar contratar outra pessoa para ajudar ou executar um trabalho. Essa possibilidade deve ser discutida e incluída no contrato de prestação de serviços.

Quem contrata pode querer especificar o trabalho que pode ser subcontratado ou colocar outras restrições no contrato. Assim como pode não permitir a subcontratação.

10 – Exclusividade

Um dos benefícios de prestar serviços de forma independente é a capacidade de trabalhar em qualquer número de projetos para qualquer número de clientes.

Uma cláusula de “exclusividade” restringe o acesso a contratos com outros clientes. Nesta situação, o prestador de serviços deve considerar se deseja concordar com uma cláusula como esta.

11 – Responsabilidade pelo trabalho defeituoso ou incompleto

Uma cláusula de responsabilidade por trabalho defeituoso ou incompleto pode ser incluída para deixar claro quem é responsável por corrigir qualquer falha e o prazo para essa responsabilidade.

Este tipo de cláusula é particularmente comum no setor de construção onde os contratados podem usar muitos subcontratados para completar uma tarefa ou projeto.

Geralmente nestes casos, o contratante emiti um aviso ao contratado para remediar a “violação de contrato”,  antes de o conflito ser resolvido em âmbito judicial.

12 –  Procedimento para a resolução de litígios

Os negócios geralmente não funcionam sem problemas. Por isso, é comum os contratos incluírem um procedimento para resolver qualquer litígio que possa ocorrer. As disputas podem ser sobre questões como dinheiro, desempenho no trabalho, falhas na execução do projeto, entre outros.

Se você achou importante os 12 pontos que listamos para a elaboração do seu contrato de prestação de serviços, não esqueça de optar por um acordo por escrito da próxima vez que fechar um negócio.

E se você quiser ainda ir mais longe, não deixe de conhecer a solução da Juridoc para criar, organizar e gerenciar contratos durante todo o processo de negociação e vendas. 

[cp_modal display = “inline” id = “cp_id_9f7ee”]

Related Post
Prestadores de serviços: tudo o que você precisa saber
Prestadores de serviços: tudo o que você precisa saber

Seja você autônomo, profissional liberal, microempreendedor individual ou proprietário de uma microempresa, se presta algum tipo de serviço, há algumas Leia mais

5 tópicos principais do contrato de prestação de serviços

Para esclarecer todas as suas dúvidas sobre esse documento, reunimos em um único post os principais aspectos do contrato de Leia mais

  • Readers Rating
  • Rated 4.7 stars
    4.7 / 5 (3 )
  • Your Rating


33 Comments
  • Larissa
    Postado às 19:09h, 11 julho Responder

    Tenho um dúvida, posso ter um contrato de prestação jurídica e contábil no mesmo contrato? ou cada uma dessas funções devem ser feitos contratos individualizados?
    agradeço o retorno da dúvida.

    • Juridoc
      Postado às 12:06h, 12 julho Responder

      A princípio, não há nenhum impedimento legal para que o contrato de prestação de serviços descreva mais de um tipo de serviço. O importante é especificar de forma clara os serviços que serão prestados.

  • MICHELLE
    Postado às 14:56h, 06 agosto Responder

    Olá,

    Eu estou prestando serviço como MEI – Treinamento para as seguintes atividades: – Estruturação de escola de Negócios,
    – Parcerias com instituições de ensino;
    – Definição das diretrizes da educação corporativa;
    – Estruturação de ações de desenvolvimento de acordo com ás áreas internas;
    – Conduzir parcerias com Instituições;
    – Projetos de Implantação de escola de negócios.

    No contrato ao invés de me auto intitular consultora, posso informar serviços como especialista em educação corporativa?

    • Juridoc
      Postado às 15:25h, 06 agosto Responder

      Olá! Podes informar o que melhor descreve sua atividade como prestadora de serviços.

  • Flávio Yankous
    Postado às 21:46h, 04 setembro Responder

    Olá,

    Gostaria de saber se posso fazer um contrato de prestação de serviço de controles internos para uma cooperativa de crédito ou essa atividade é específica para funcionário contratado (CLT)?

    Grato

  • Luis Augusto Dias
    Postado às 14:17h, 05 setembro Responder

    Boa tarde. Gostaria de saber se com a nova lei da reforma trabalhista em vigor, a minha empresa pode subcontratar, via MEI, os funcionários que prestam a atividade fim. Com contrato de trabalho de exclusividade, com jornada de trabalho, etc. Modelo bem parecido com a CLT, mas via MEI para reduzir os encargos para ambas as partes.

    • Juridoc
      Postado às 09:28h, 06 setembro Responder

      Caso você subcontrate esses colaboradores como MEI, você estará gerando vínculo empregatício.

  • Luis Augusto Dias
    Postado às 14:21h, 05 setembro Responder

    Complementando a dúvida acima, a empresa tem um contrato com um cliente, então seria uma contratação por prazo determinado, exclusiva para este projeto.

  • Sandra Santos
    Postado às 15:28h, 31 março Responder

    Olá gostaria de saber se vocês elaboram contrato para prestação de serviços.

    • Juridoc
      Postado às 08:04h, 04 abril Responder

      Olá Sandra! No momento, não estamos oferecendo o serviço de elaboração de contratos e documentos jurídicos.

  • Cláudio Ferreira
    Postado às 06:45h, 16 abril Responder

    Ola! Gostaria de saber se uma sociedade por quota (Média empresa), tem limite de celebração de contractos de prestação de serviço?

    • Juridoc
      Postado às 10:03h, 17 abril Responder

      Olá uma sociedade por quotas ou limitada não tem limites para celebrar contratos de prestação de serviços.

  • krishna Borges
    Postado às 12:08h, 06 maio Responder

    boa tarde!
    Sou autônoma e preciso contratar uma mão de obra. Consigo fazer o contrato de prestação de serviço mesmo não tendo CNPJ?

    • Juridoc
      Postado às 16:50h, 06 maio Responder

      Olá! Você pode contratar uma pessoa sendo PF sim, mas em relação a tributação, tipo de contratação, e outros requisitos o ideal é consultar um advogado, porque cada situação é específica. Não oferecemos consultoria jurídica mas não hesite em entrar em contato com um dos nossos advogados parceiros! https://www.juridoc.com.br/advogados/

  • Everaldo da Rosa Anhanha
    Postado às 02:42h, 09 maio Responder

    Bom dia presto serviço para um condomínio a mais de 15 anos sempre todo ano renova meu contrato, a 3 anos isso não vem acontecendo já comuniquei ao síndico por várias vezes da renovação do meu contrato e passa ano e não assinamos novo contrato, sendo que eles eram por 1 ano a não ser que tivesse alguma cláusula que renivace automaticamente ou tem indeterminado que não é o caso, minha dúvida é que se resolvem trocar de empresa de uma hora pra outra eu fico totalmente desamparado já que o contrato é minha garantia de serviço eu posso pedir alguma indenização? Afinal de contas uso este condomínio para sustento de minha família nunca tive interesse em firmar contrato com outros, e se sim, de quanto posso pedir essa indenização, meu muito obrigado se puderem me esclarecer essa dúvida.

  • Mauro Moreira Mesquita
    Postado às 15:53h, 20 junho Responder

    Boa tarde fiz um contrato de prestação de serviços técnicos com uma firma de engenharia , datado anterior a licitação publica para o qual seria usado , e vinculei o prazo de 12 meses se a empresa viesse a ser a vencedora da licitação publica .
    Firmas reconhecida do contratante e contratado e duas testemunhas .

    fomos inabilitado pela comissão de licitação da prefeitura de búzios , que alegou que este tipo de contrato não representa vínculo do profissional e empresa

    tenho como defender o vínculo

  • Hygo Domingos
    Postado às 09:45h, 15 agosto Responder

    A contratada pode fazer gerencia sobre a contratante?

  • Hygo Domingos
    Postado às 09:46h, 15 agosto Responder

    A contratante pode fazer gerencia sobre a contratada?

  • Rafa
    Postado às 10:07h, 10 setembro Responder

    Ola, tenho uma empresa e pedir uma pessoa para fazer o serviço de cobrança da notas em atraso, Ele vai ate o cliente devedor e recebe o valor da notinha, desse valor 25% fica para ele. Posso fazer um contrato de prestação de serviço para evitar criar vinculo . Esse mesmo serviço ele faz para mais empresas do meu bairro. Não tem horário certo, subordinação…pega as notas e final do dia entrega, o que receber ja tira a porcentagem dele..caso nao tenha notinhas p cobrar não faz nada…

    • Juridoc
      Postado às 11:14h, 12 setembro Responder

      Olá Rafaela! Infelizmente neste caso, não temos como orientá-la. Não oferecemos consultoria jurídica, mas não hesite em entrar em contato com um dos nossos advogados parceiros! https://www.juridoc.com.br/advogados/ ?

  • Ademir Almeida Neto
    Postado às 16:14h, 25 setembro Responder

    Ola Tenho uma Duvida

    Quero contratar um serviço de internet para minha residencia, porem não sei se vou ficar por muito tempo nessa residencia. Minha duvida é, no contrato eles pede o tempo minimo do vinculo durante 12 meses e caso haja o cancelamento do serviço eles cobram uma taxa que no inicio eles falam que é uma taxa de benefício referente a instalação. Eles tem o direito de fazer isso? Pois ele me prende a um serviço que eu não queira mais usar.

  • Patrícia L Felipe
    Postado às 16:22h, 11 dezembro Responder

    Boa tarde;

    Pode ser feito contrato de prestação de servições administrativos e de vendas?

    • Juridoc
      Postado às 16:09h, 12 dezembro Responder

      Olá Patrícia. Em princípio, o contrato de prestação de serviços pode ser utilizado para toda espécie de serviço ou trabalho (profissionais liberais, representantes comerciais, trabalhador eventual, desde que não gere vínculo empregatício (habitualidade, subordinação e dependência econômica). Essa é apenas uma orientação. Infelizmente, não prestamos consultoria jurídica, mas não hesite em entrar em contato com um dos nossos advogados parceiros.

  • RILTON CORREA DE CARVALHO
    Postado às 17:43h, 12 fevereiro Responder

    Boa tarde! O que fazer quanto termina um contrato de prestação de serviços? Precisa formalizar o termino dele ou simplesmente arquivar?

    • Juridoc Responde
      Postado às 09:19h, 17 fevereiro Responder

      Olá Rilton. O ideal é fazer um termo de encerramento e arquivar juntamente com o contrato. Mas essa é apenas uma orientação, não prestamos consultoria jurídica, mas não hesite em entrar em contato com um dos nossos advogados parceiros: https://www.juridoc.com.br/advogados/

  • Klau
    Postado às 16:08h, 05 março Responder

    olá , estou contratando uma prestação de serviços , mas o contrato só fala que é aulas explicativas e não consta numero de documento e nem o nome do prestador só rubrica. pode ser?

    • Juridoc Responde
      Postado às 11:37h, 13 março Responder

      Olá Cláudio! Infelizmente, não prestamos consultoria jurídica, mas não hesite em entrar em contato com um dos nossos advogados parceiros: https://www.juridoc.com.br/advogados/

  • Lucas
    Postado às 09:18h, 15 maio Responder

    um MEI pode subcontratar empesa do Simples para serviços enquadrados na construção civil (fabricação e montagem de estruturas metálicas)??

Post A Comment

BLACK FRIDAY, 50% de desconto em nossos planos anuais!